Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
EN PT

ICS_Ciencia_Dialogo_vf_site_banner.png

A iniciativa ICS: Ciência em Diálogo, promovida pela Presidência do ICS, tem como objetivo contribuir para o aprofundamento do conhecimento na área das Ciências Sociais, partilhando saberes e investigação entre os diversos investigadores do ICS. Pretende-se que os participantes (investigadores doutorados pertencentes a qualquer um dos quatro centros de investigação do ICS) apresentem, num formato Pecha Kucha - 20 slides x 20 segundos = 6 min 40s (os slides podem ser substituídos por qualquer outra forma de apresentação; o tempo deve manter-se) - a investigação que estão a desenvolver.


As sessões decorrerão em regime presencial, se as condições sanitárias o permitirem. Às apresentações seguir-se-á um debate de cerca de 30 minutos.

ICS: Ciência em diálogo está aberta a todos os investigadores doutorados e docentes do Instituto de Ciências Sociais.


A submissão de propostas está aberta e deve ser feita a partir do preenchimento do formulário disponível abaixo, devendo, depois, ser enviado para martabarbosa@ics.uminho.pt

Formulário de submissão de propostas: Ciencia_Dialogo_form_inscricao_set2021.docx


NOVA SESSÃO

2ª SESSÃO "ICS: CIÊNCIA EM DIÁLOGO"

4 de novembro | Sala de Atos do ICS e Zoom
16h00 - 17h30

Cynthia Luderer | CECS
Os discursos dos supermercados portugueses em torno da sustentabilidade

O consumo de alimentos nos supermercados apresenta-se como uma prática quotidiana para um imenso número de pessoas. As visitas a estes estabelecimentos, física ou virtual, contribuem para manter ativo um modelo de negócios que gera diferentes valores, além do próprio capital. Conferir as estratégias comunicacionais aplicadas por essas grandes superfícies contribui para verificar os discursos de cunho global e local em torno da roda do consumo alimentar. Este estudo analisa essa grande cadeia, que move diferentes agentes e os alimentos na sua condição de mercadoria, a partir das mensagens veiculadas nas revistas de culinária customizadas das duas maiores redes de supermercados portugueses. Com o apoio desse corpus, este trabalho visa debater sobre os discursos que essas empresas têm difundido em torno da sustentabilidade e, mais especificamente, sobre o compromisso que essas companhias demonstram ter com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) propostos na Agenda 2030.

 

Edson Capoano | CECS
Os aspetos subjetivos da comunicação e do consumo de notícias

Se e como os domínios subjetivos individuais, como emoções, valores e moral, influenciam o consumo de notícias; se o uso de tais aspetos subjetivos nas narrativas noticiosas pode gerar engajamento, especialmente o juvenil; como as diferenças de identidade, personalidade e temperamento do público influenciam a tomada de decisão no consumo de notícias e o uso de argumentos sobre o as notícias consumidas – são algumas das questões trazidas a debate. Esta investigação se inspira no chamado giro emocional das ciências sociais dos últimos 20 anos, e dentro do projeto FCT "O engajamento dos jovens com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: a escolha dos argumentos morais das notícias para o uso em debate", no qual serão realizadas atividades com jovens adultos em instituições de ensino superior no Brasil, Portugal e Moçambique.

 

Jorge Ribeiro | Lab2PT
Materiais tradicionais e técnicas: o estudo das argamassas antigas e das terras cozidas arquitecturais de Bracara Augusta

Este projeto pretende abordar a construção da cidade de Bracara Augusta a partir da componente económica e social, com base numa análise detalhada de um conjunto de edifícios, com funcionalidades distintas, entre o Alto-Império e a Antiguidade Tardia. As principais tarefas consistem na determinação dos processos construtivos que estão na origem das obras consideradas, com destaque para as técnicas e os materiais, o estudo das práticas de reutilização de elementos, o volume de trabalho, a quantidade de materiais utilizados e os vários custos associados. Através deste estudo queremos aceder à população bracarense e perceber o seu grau de adaptação ao modo de vida romano, o que implica, igualmente, ter em conta o papel de influências locais.

 

Pedro Chamusca | CECS
A transformação social e económica dos territórios: perceção e realidade

A apresentação centra-se na dimensão geográfica do desenvolvimento. Ao longo da última década, algumas cidades passaram por um processo de transformação muito intenso, com efeitos na sua estrutura física, económica e social. A avaliação desta mudança é subjetiva e normalmente reduzida – do ponto de vista da perceção e exposição pública – ao rótulo de desastrosa ou excelente. O desenvolvimento e aplicação de metodologias de avaliação e comunicação permite uma análise informada da realidade. O que mudou, a que ritmo e quais os efeitos são as questões centrais. Respondemos a isto, tendo por base vários exercícios de recolha de informação e mecanismos de comunicação da mesma.


Acesso à transmissão Zoom:
https://videoconf-colibri.zoom.us/j/89284861646



1ª SESSÃO "ICS: CIÊNCIA EM DIÁLOGO"

13 de julho
14h30 - 16h00

Francesca Cerbini | CRIA-UMinho
Religião e religiões na prisão portuguesa: anotações a partir da pesquisa etnográfica

As dinâmicas socioculturais ao redor da crescente pluralização religiosa da população prisional é um tema importante no cenário sociopolítico atual, onde cada vez mais existe a consciência do papel que as religiões têm na construção das identidades individuais e coletivas. Com base na pesquisa etnográfica e a partir da perspetiva antropológica, o projeto Religiões e vida quotidiana na prisão analisa a religião no espaço penitenciário para além da função de reabilitação que carateriza historicamente a sua presença (católica e protestante) na cadeia. A investigação considera a mudança do cenário religioso português e as fronteiras indefinidas do privado e do secular na cadeia, evidenciando como a ligação entre o espaço prisional "multifé" como parte da experiência diária de reclusos e reclusas, capelães, assistentes espirituais e guardas prisionais tornou-se um desafio para a instituição, enfrentando questões que relacionam a liberdade religiosa com os critérios de segurança e ordem caraterísticos desse contexto.


Joana Sequeira | Lab2PT
Wor(l)ds of Cultural Diversity: um projeto sobre vestuário e têxteis em Portugal na Idade Média

O projeto individual aqui apresentado, vencedor da 3.ª edição do CEEC, pretende estudar o vestuário e os têxteis em Portugal entre os séculos XIII e XV, aplicando os conceitos de multiculturalidade e interculturalidade. A coexistência de diferentes credos e culturas na Península Ibérica ao longo da Idade Média (Mouros, Cristãos e Judeus) potenciou o desenvolvimento de uma materialidade têxtil sincrética e, como tal, inexistente na Europa além-Pirenéus. A metodologia de abordagem proposta parte da análise do vocabulário têxtil para aceder aos aspetos das trocas interculturais, explorando as relações complexas entre terminologia, objetos, imagem e identidade. Numa época em que se discute a legitimidade e a liberdade na utilização de vestuário associado a determinada matriz cultural de índole étnica ou religiosa, urge repensar historicamente as raízes do dress code enquanto elemento de identidade e, consequentemente, de diversidade.


Pedro Costa | CECS
A comunidade wikipedista em língua portuguesa. Um retrato social

Vinte anos depois, a Wikipédia continua a ser um caso notável de resistência na comunicação e informação, desde os assuntos de ciência ou política aos assuntos mais contingentes, muitas vezes com índices de desinformação menores do que grandes média informativos graças à constante atualização e vigilância comunitária. Porém, pouco se sabe sobre os voluntários que produzem esta enciclopédia digital. Esta intrigante “invisibilidade” deu origem a este estudo, que pretendeu revelar a comunidade de wikipedistas em língua portuguesa: de onde são? O que fazem? Quais as idades e graus de escolaridade? Quais as motivações e constrangimentos sentidos neste processo sociotécnico? Entre outros dados recolhidos para a caracterização do perfil desta comunidade, este estudo revela a existência de baixos índices de participação das mulheres e dos povos africanos de língua portuguesa neste empreendimento coletivo.


Rodrigo Dominguez | CICS-UMinho
A fiscalidade, o transporte marítimo e a economia portuguesa na época moderna: o imposto do Marco dos Navios num contexto global

Durante muitas décadas, a fiscalidade e o transporte marítimo enquanto instrumentos de desenvolvimento ficaram relegadas para segundo plano na História. Por outro lado, o seu estudo vem sendo retomado nas últimas décadas, com o intuito de aclarar aspetos fundamentais do crescimento económico das nações modernas. Nesta apresentação, queremos rever o escopo-base da investigação, e demonstrar como a história do imposto naval do Marco dos Navios pode ter múltiplos propósitos ou desdobramentos no que toca à explicação de vários fenómenos económicos, políticos e sociais da História Portuguesa e mundial da segunda metade do século XVIII e primeira metade do XIX. Pretende-se pensar também como esta investigação pode ajudar a perceber o que fizeram e o que fazem as nações e seus governos em situações extremas de tomadas de decisão e de redefinição institucional numa perspetiva de longa duração, como as revoluções, os conflitos mundiais e as pandemias.


Vítor de Sousa | CECS
As identidades transnacionais e transculturais. A lusofonia enquanto olhar pós-colonial e como possibilidade intercultural

A identidade do “eu” está sujeita à presença de um “outro”, não de forma a apagar os seus próprios valores, mas a permitir a expansão das suas visões de mundo, já que o indivíduo se insere, ao mesmo tempo, no campo de visão de um “outro”. Por meio do conceito de transculturalidade, sustenta-se a ideia de que as culturas estão em processo constante de interação e de mistura. Esta apresentação, dedicada à problemática das identidades transnacionais e transculturais, aborda a lusofonia como possibilidade intercultural, não obstante o seu difícil percurso afetado pelo luso-tropicalismo e pela 'portugalidade'.